Notícias Rss

Abertura da plenária final foi realizada na manhã desta sexta-feira (23)
Abertura da plenária final foi realizada na manhã desta sexta-feira (23) - Foto:Guilherme Dardanhan
O vereador Ramon Alexandre Araújo enfatizou que é preciso gostar de política para mudar a realidade
O vereador Ramon Alexandre Araújo enfatizou que é preciso gostar de política para mudar a realidade - Foto:Guilherme Dardanhan
O estudante José Augusto Leite dos Santos contou que o programa lhe trouxe superação pessoal
O estudante José Augusto Leite dos Santos contou que o programa lhe trouxe superação pessoal - Foto:Guilherme Dardanhan
Para o coordenador municipal Lucas Medau, um dos ganhos do programa é desenvolver a oralidade
Para o coordenador municipal Lucas Medau, um dos ganhos do programa é desenvolver a oralidade - Foto:Ricardo Barbosa
23/09/2022 17h00

PJ Minas estimula gosto por política e poder de escuta

Na plenária final, participantes destacam como o programa contribui para a formação de jovens em cidadãos melhores.

A importância do Parlamento Jovem de Minas (PJ Minas), programa de formação política e cidadã da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), foi enfatizada, nesta sexta-feira (23/9/22), na mesa de abertura da plenária estadual desta edição.

Destinado aos estudantes do ensino médio e realizado em parceria com câmaras municipais e com apoio da PUC Minas, a 18ª edição da iniciativa contempla 121 câmaras municipais, divididas em 18 polos.

Nesta edição, o tema em discussão é "Saúde mental do jovem". A etapa estadual teve início na última quarta (21) e se encerra ainda nesta sexta (23).

O deputado Osvaldo Lopes (PSD), que presidiu a mesa de abertura da plenária final, ressaltou que o programa representa uma das mais importantes iniciativas do Legislativo mineiro.

Isso porque, conforme disse, o PJ Minas promove o debate de temáticas importantes, estimula os jovens a conhecerem o papel dos legislativos municipal e estadual, além de dar protagonismo a eles.

Em sua opinião, isso é fundamental, sobretudo, neste momento da história política do Brasil. "Muita gente fala muito e faz pouco. Tem político que grava vídeo falando, viraliza e se torna herói nacional. Mas o que ele fez de fato para sua cidade, estado e País?", questiona.

Ele acrescentou que o fazer política deve ser orientado por ações genuínas relacionadas ao que move a pessoa no mundo.

A gerente de Educação para a Cidadania da Escola do Legislativo da ALMG, Leandra Martins de Oliveira, relatou que esta edição mobilizou 2.800 adolescentes do Estado por meio de uma formação que considera para a vida toda.

"Comemoro nesta edição o fato de estarmos aqui após o isolamento decorrente da pandemia, os 30 anos de educação legislativa no Brasil, na qual o PJ Minas se insere, e a ampliação de 120 para 150 alunos presentes nesta etapa final", disse.

Tema propicia discussão necessária

A assessora acadêmica da Pró-Reitoria de Extensão da PUC-Minas, Ana Teresa Brandão de Oliveira e Brito, abordou a importância do tema desta edição, que oportunizou a discussão entre os jovens de um assunto que é relevante e urgente.

Ela citou dados que mostram que o suicídio é a quarta causa de morte de jovens de 15 a 20 anos no mundo. "A escuta ativa é a melhor forma de combater o problema", enfatizou.

Também abordou a importância do tema desta edição o presidente da Câmara Municipal de Janaúba (Norte de Minas), vereador Ramon Alexandre Araújo. Ele disse ainda que é preciso mudar a mentalidade de que não se gosta de política.

"É preciso gostar e se envolver com a política para que haja gente de bem nos espaços de poder", falou.

A vereadora Elainy Aparecida de Souza, coordenadora do PJ Minas de Limeira do Oeste, Polo Triângulo, enfatizou que o programa possibilita a formação desses cidadãos.

Professora e educadora, ela diz que, ao desenvolverem o PJ Minas na cidade, percebem o quanto os jovens estão sedentos por conhecimento.

Uma dessas jovens que está com muita vontade de aprender e fazer a diferença é Sthepany Campos Neves, de Extrema, no Polo Sul I. Compondo a mesa de abertura da atividade, ela disse que é preciso acreditar que tudo é possível e que a política é para todos.

"O conhecimento é a luz da vida, como dizia meu avô. E o PJ Minas nos traz isso. Aqui é o lugar de mudança social, porque daqui saem propostas incríveis", salientou.

Estudantes classificam PJ Minas como experiência única

A plenária final, realizada nesta sexta (23), reúne 150 estudantes do ensino médio de diferentes regiões do Estado, com diversos sotaques e opiniões. Mas, em comum, eles têm a ideia de que o PJ Minas representa uma experiência única.

Uma dessas jovens é Ana Flávia Ribeiro Fernandes Mendonça, de Piedade do Rio Grande, Polo Vertentes. Aluna do 3º ano da Escola Estadual Dr. Antônio Batista do Nascimento, participa pela primeira vez da iniciativa.

Engajada na edição, foi relatora de um dos subtemas e fez parte da mesa da plenária. "Com o PJ Minas, aprendi muito a dar espaço para o outro e a ouvi-lo. Todo mundo deveria passar por isso", afirmou.

Também estudante do 3º ano e novato no PJ Minas, José Augusto Leite dos Santos, do Instituto Federal de Muzambinho, Polo Sudoeste, se envolveu muito com esta edição do projeto. Ele também foi relator de um subtema e compôs a mesa dos trabalhos.

Além de ter relatado que o programa o ensinou a ouvir opiniões diversas e a expandir seu pensamento político e social, contou que lhe trouxe superação pessoal.

José Augusto explicou que tinha um problema com a gagueira. Após trabalhar a oratória e a participar das oficinas e das atividades do PJ Minas, venceu essa questão. Dessa forma, chegar a ser relator, compor a mesa da plenária e falar em público são motivos para comemorar.

A estudante Júlia Alves e Silva, do 2º ano da Escola Estadual Professor Maximiano Lambert, de Córrego do Bom Jesus, Polo Sul I, também diz que vai levar essa experiência para toda a sua vida. 

Corroborou a fala da colega a aluna Camile Magalhães Reis, do 3º ano do Centro Educacional Roberto Porto (Cerp), de João Monlevade, Polo Médio Piracicaba. De acordo com ela, dessa experiência vai levar para sua vida o gosto pela política, por se informar e por ter opinião própria.

Coordenadores veteranos falam do legado do programa

Coordenador do PJ Minas em Monte Sião, Polo Conexão Sul, Lucas Medau está acompanhando a oitava plenária final do PJ Minas. 

"Percebo como positiva a forma como o programa trabalha a oralidade. E entendo por isso não só emitir opiniões, mas também escutar o outro e negociar", explicou.

Educador, Lucas Medau destaca que esse tipo de prática é dificultada na escola devido ao grande número de alunos, entre outros fatores. "O PJ Minas é então um espaço qualificado para discussão real e não só teórica como, normalmente, ocorre nas escolas", disse.

Edelways Campos, coordenadora do Polo Metropolitano e servidora da Câmara Municipal de Belo Horizonte, atuante há seis anos no PJ Minas, concorda com Lucas Medau.

"Sempre vemos com entusiasmo como os estudantes evoluem e se transformam. Além de adquirirem informações sobre o tema em discussão, sobre política e oratória, eles se descobrem. Ganham autoestima, voz e poder", destaca.


Tópicos:
Últimas Notícias
21/06/2024 Crise Climática - Noroeste acumula prejuízo superior a R$ 600 milhões com estiagem e seca
00:03:58 | Download (9302kb)

21/06/2024 Denúncias de funcionários da MGS serão apuradas pelo Ministério do Trabalho
00:03:49 | Download (8972kb)
facebook facebook
Carregando Carregando posts...
Twitter Twitter
Twitter